sábado, 18 de abril de 2009

O Coelhinho da Páscoa me sacaneou.


Pois é isso mesmo. O pervertidinho orelhudo foi se chegando virado em desfaçatez, oferecendo "só um chocolatinho, que mal tem?", e destroçando o estoicismo que embasava meu regime.

De chocolatinho em chocolatinho, quando dei por mim estava devorando moqueca de camarão, arroz de forno, pirão, salada de batatas e sorvete - muito sorvete tipo Napolitano.

E, caros meus, digam-me: quando é cortada a fita inaugural do viaduto, passa de tudo, né? Gente a pé, bicicleta, moto, carro, caminhonete, ônibus, caminhão, jamanta... Assim fui eu, tal qual uma draga de geladeira, forno e fogão. A farra do pervertidinho veio até hoje, uma semana além do tempo em que ele deveria ter retornado à toca. Depois de uma tarde de sábado gasta trabalhando, atirei-me com toda a minha voracidade gastronômica sobre um prato de massa, galeto, polenta, beringela e radichio com bacon. Suuuper levinho... Ah, e pavê de bombom pra arrematar. Duas porções de pavê de bombom.

Se eu parar em algum cruzamento, os motoristas pensarão que sou uma rótula, e vão dar a volta em mim.

A música de saudação ao desgraçadinho de olhos vermelhos deveria ser "Coelhinho da Páscoa, que trazes pra mim? Um quilo, dois quilos, uma bundona assim!!"

Já que o sacaninha do pelo branquinho trouxe-me tantos quilos, bem podia ter trazido também meu próprio código de área de telefonia... Meu tamanho atual comporta um código próprio.

Daqui a dois meses - nos quais espero fazer muita corrida matutina - deverei voltar a ver meus pés. Hoje, olho pra baixo e não os vejo. Só sei que eles estão lá pela dor: os pobrezinhos não esperavam ter que sustentar tanto peso.

Se alguém lançar um objeto de pequenas proporções no ar ao meu redor, ele deve criar órbita. Do jeito que estou, certamente já tenho um campo gravitacional.

E decidido está: maldito seja quem chegar perto de mim com qualquer comida gostosa. O mantra agora é "abobrinha, acelga, agrião, alface, broócolis, broto de alfafa, chicória, chuchu...".

A fim previnir os estragos que o malditinho de pulo bem leve está tramando para o ano que vem, recrutei o cãozinho da foto acima. Ele dá conta. (Sim, porque a tonta aqui certamente vai pensar: "ah, é só um chocolatinho, que mal tem?")

3 comentários:

Pandora disse...

Botou o pé na jaca mesmo né? mas não se preocupe! tem outras mulheres na fila dos quilinhos a mais. Eu por exemplo, enfiei mesmo, com prazer e ainda estou tentando voltar ao maldito regime (cá entre nós, tem coisa mais chata do que regime de privação, sem sorvete napolitano, que eu tb adoro?)

Mas, faça da jaca a sua pantufa e ótima semana! :)

Beijo :***

Luis Bento disse...

Quanto exagero!! deve ter engordado umas graminhas e entrou em pânico...tem mais uma coisa: o cão aí come chocolates? come? se não come, passa a comer...e deixa o oclehinho em paz.
E tem mais outra coisa: se alguém lançar um objecto e ele ficar gravitando à sua volta...isso tem nome nome: atracção! pela beleza...

Raq Paulino disse...

Adorei o texto bem-humorado, morri de rir. Exagero, teu nome é mulher. É nosso charme, fala a verdade! :-)

Beijooo!