segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Os defeitos dos adultos


Confesso um vício: revistas antigas. Antigas mesmo, não só velhinhas. Tenho perdição por uma coleção de Seleções do Reader's Digest que meu avô mandou encadernar nas décadas de 40 e 50. As leio compulsivamente, e adoro vê-las enfileiradas, em suas capas duras, na estantes de livros do quarto que eu ocupava na casa da minha mãe.

Através delas, vejo o quanto o mundo mudou muito e nada, ao mesmo tempo. Dei com este texto, na semana passada, quando estive por Erechongas em expedição etnográfica (visitar Erechongas sempre é uma experiência antropológica...):


"Quais dos defeitos dos adultos?

(entrevista realizada em 1953 com crianças de cinco a sete anos de Nova Jersey)


  1. Os adultos prometem coisas, depois esquecem, ou dizem que não foi bem uma promessa, mas um "vamos ver".

  2. Os adultos não fazem as coisas que mandam as crianças fazer - como guardar suas coisas, andar limpos, ou dizer sempre a verdade.

  3. Os adultos não deixam as crianças se vestirem como querem, e nos obrigam a usar coisas das quais não gostamos porque agasalham bem; mas quando saem, vestem o que querem, ainda que não agasalhe bem.

  4. Os adultos nunca ouvem as crianças: decidem tudo por nós sem nos perguntarem nada, e pensam que sabem do que gostamos mais ou do que não gostamos.

  5. Os adultos erram, mas não confessam seus erros; fingem que a culpa é de outra pessoa. Porém, nos obrigam a assumir nossos erros e a pedir desculpas o tempo todo.

  6. Os adultos interrompem as crianças e não nos deixam falar, mas não permitem que as crianças os interrompam, mesmo que seja importante.

  7. Os adultos não respeitam nossos objetos, e sempre os tratam como tralha. Jogam fora coisas que são importantes para nós e depois menosprezam nossa tristeza.

  8. Os adultos não têm regras para nos aplicar castigos: às vezes, por coisas insignificantes, nos punem severamente. Outras, quando cometemos faltas graves, não se importam e deixam passar. Nunca sabemos ao certo o que é grave e o que não é.

  9. Os adultos queixam-se que damos trabalho e os atrapalhamos, e sempre se irritam conosco quando estão cansados ou frustrados, ainda que apenas estejamos agindo como sempre.

  10. Os adultos vivem em função do dinheiro, mas nos dizem que ele não é a coisa mais importante do mundo.

  11. Os adultos falam barbaridades da vida alheia, mas nos repreeendem se repetirmos o que disseram.

  12. Os adultos sempre desconfiam dos segredos das crianças, e quando estamos inventando alguma coisa, logo acham que é travessura ou coisa errada.

  13. Os adultos sempre nos dizem que foram crianças melhores do que nós: mais obedientes, respeitosas e aplicadas. Mas nunca procuram entender que ser criança agora é diferente do que ser criança quando eles o eram."

Nossa! O mundo muda muito e muda nada; tenho ou não tenho razão?


Um comentário:

Pandora disse...

Aí, deu vontade de voltar a ser criança... :) O mundo dos adultos perdeu-se, nesse ir e vir sem fim. Por incrível que possa parecer, eu acho que nós entendíamos o mundo muito melhor que hj, como adultos. Tudo era mais simples....

beijo e ótima semana!